domingo, 20 de fevereiro de 2011

Alucinações Interpo(É)ticas

may pasquetti - foto: jiddu saldanha



o que é que mora em tua boca Bia?
um deus um anjo ou muitos dentes claros
como os olhos do diabo
e um a estrela como guia?

o que é que arde em tua boca Bia?
azeite sal pimenta e alho
résteas de cebola
um cheiro azedo de cozinha
tua boca é como a minha?

o que é que pulsa em tua boca Bia?
mar de eternas ondas
que covardes não navegam
rios de águas sujas
onde os peixes se apagam
ou um fogo cada vez mais Dante
como este em minha boca
de poeta delirante
nesta noite cada vez mais dia
em que acendo os meus infernos
em tua boca Bia?

artur gomes
http://pelegrafia.blogspot.com/



para mim Beatriz nunca foi musa de Dante mesmo sabendo que todos os poetas já cantaram suas musas escrevi um dia que Beatriz são todas tantas quantas muitas são nomes e este de quem voz falo não revelo o sobrenome está no livro sagrado na pele do acetato na memíra do retrato Beatriz no último ato da Divina comédia Humana quando deitr aem minha cama e come do fruto proibido. mas isso já faz um tempo vai lá pelos idos de 2005 e eu entre o teatro e a vida dava vida a o drama mesmo que na cama fosse muito mais que isso. agora quero dizer que may não é beatriz nunca foi nem será mas musa também e ainda puta atriz vem dividindo comigo muitos momentos de palco desde que pela primeira vez pisamos juntos em bento gonçalves esse espaço sagrado para despir nosso profano em carnavalha e poesia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário