quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Chico Buarque declara voto em Dilma Rousseff

O cantor e compositor Chico Buarque de Holanda declarou seu voto na pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff.

“Eu confesso, vou votar na Dilma porque é a candidata do Lula e eu gosto do Lula”, afirmou Chico em entrevista à revista “Brazuka”, segundo o blog do Fernando Rodrigues.

Chico Buarque falou sobre o seu voto quando respondeu pergunta sobre declaração do cantor e compositor Caetano Veloso. No ano passado, Caetano afirmou que preferia a pré-candidata do PV, senadora Marina Silva (PV), porque ela não é “analfabeta nem grosseira como o presidente”.

O cantor foi repreendido pela mãe, Dona Canô Veloso, 102 anos, que pediu desculpa ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para a “Brazuka”, que é editada na França, Chico Buarque afirmou que sua mãe –Maria Amélia, de 100 anos– e a de Caetano são eleitoras de Lula.

“Nossas mães são muito mais lulistas que nós mesmos. Mas não sou do PT, nunca fui ligado ao PT. Ligado de certa forma, sim, pois conheço o Lula mesmo antes de existir o PT, na época do movimento metalúrgico, das primeiras greves. Naquela época nós tínhamos uma participação política muito mais firme e necessária do que hoje”, afirmou o cantor.

A revista perguntou a Chico Buarque se a imprensa trata o governo Lula injustamente. “Nem sempre é injusto, não há uma caça às bruxas. Mas há uma má vontade com o governo Lula que não existia no governo anterior”, disse.



Folha volta a ser porta-voz da ditadura

Tem tudo que ver com a história da grande imprensa brasileira a próxima aposta da Folha de São Paulo para difamar a adversária do candidato que apóia tacitamente. Ao tentar resgatar o processo que a ditadura militar abriu contra Dilma Rousseff para justificar seu encarceramento, o jornal revela que, mais uma vez, tornar-se-á porta-voz dos ditadores.

É evidente que um processo aberto por uma ditadura para dar ares de legitimidade a um crime de lesa-humanidade como é prender e torturar uma garota de 19 anos só pode conter as acusações mais terríveis contra a vítima dessas sevícias.Ou alguém acha que a ditadura teria prendido e torturado a tantos sob acusações de ordem meramente política e ideológica? É óbvio que Dilma sofrerá, em pleno regime democrático, acusações que lhe foram feitas pelos pervertidos que impuseram duas décadas de regime de exceção ao Brasil. Nessas acusações, obviamente que lhe serão atribuídos crimes sérios.

Hoje, um daqueles jornais que caminharam de braços dados com a violação da democracia no Brasil tenta resgatar as acusações dos ditadores àquela pós-adolescente de óculos grossos que teve coragem que muito marmanjo não teve ao suportar a tortura sem dar aos torturadores o que queriam.A organização criminosa dirigida pela famiglia Frias anuncia neste sábado, com pompa e circunstância, que “O Ministério Público Militar deu parecer favorável à Folha no mandado de segurança protocolado pelo jornal no STM (Superior Tribunal Militar) para ter acesso ao processo que levou Dilma Rousseff à prisão durante a ditadura militar (1964-1985)”.

Perfeito! O que simbolizaria melhor uma campanha eleitoral tão imunda se não o candidato da direita mandar a sua máquina de propaganda difundir as justificativas mentirosas de uma ditadura para prender e torturar a adversária dele?

Não tenho a menor dúvida de que os mesmos militares de pijama que vivem dando declarações golpistas estão pressionando seus contatos na Justiça Militar para torturar uma vez mais uma de suas muitas vítimas.

Ah, e para quem não sabe, o papelório já está liberado. Há boatos de que a Folha já sabe seu conteúdo. O material será usado pelo PIG enquanto Serra posará de bonzinho.

Sugiro que a campanha de Dilma comece a preparar o público para o que virá. As pessoas precisam ser alertadas de que a ditadura, para prender aqueles garotos e garotas que a enfrentavam, era preciso acusá-los de crimes sérios, tais como roubo, assassinato etc.

Mas, para tanto, a campanha petista teria que começar a denunciar já esse comportamento degenerado e partidário da Folha, esse esforço malévolo do jornal de José Serra para resgatar da lata de lixo da história acusações viciadas, usadas como justificativas para prender e seviciar uma garota de 19 anos.

O histórico de inércia do PT nesta campanha permite prever que assistirá sentado à utilização dessa estratégia suja de Serra de dar voz a mentiras de uma ditadura assassina. Mas não se preocupe, leitor. Conhecendo o PT, quando for tarde demais para responder à altura, daí o partido acorda. Mesmo sendo tarde demais.



MARINA QUER ACORDO AO REDOR DE PROGRAMA E NAO DE CARGOS.

O coordenador da Rede Ecosocialista e assessor dacandidata à presidencial da República, Marina Silva, Pedro Ivo Batista,avalia que a coligação de Dilma Rousseff (PT), saiu na frente na disputapelo apoio do PV.

O PT abriu a possibilidade de incluir no programa de governo pontosreivindicados pela candidata Marina Silva, que ficou em 3º lugar naseleições. Já o candidato José Serra (PSDB) ofereceu quatro ministérios paraconquistar o apoio do PV.

Pedro Ivo, que saiu do PT e entrou no PV junto com Marina, acredita que épositiva a proposta de Dilma. Entre os pontos que Marina quer discutir com o PT está a manutenção do Código Florestal.

“A Marina já deixou claro que esse debate é programático. Nenhum tipo detoma-lá-da-cá ela aceita. Ela acha que pode contribuir para o Brasil atrásdessa plataforma. É isso que ela quer discutir. Essa questão de oferecimentode quatro ministérios ao PV ela já condenou publicamente. O PT, porenquanto, de forma correta, procurou – parabenizou a própria ministra Dilma– e tem buscado fazer uma conversa mais programática. Isso é positivo”.

Batista avalia positivamente a política econômica, a política externa e aspolíticas de inclusão social do governo Lula, mas avalia que ficou a desejarna questão da sustentabilidade, da reforma agrária e na reforma política.Por isso, ele defende uma discussão programática em torno do apoio a Dilmano 2º turno.

“Sem dúvida, o governo Lula tem uma tradição democrática muito maior e temuma relação muito mais respeitosa do ponto de vista das liberdadesdemocráticas e sindicais, do que o governo tucano, Tucano é repressão. Por outro lado, isso não significa dizer que simplesmente essa questão é suficiente.”

De São Paulo, da Radioagência NP, Danilo Augusto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário