terça-feira, 29 de junho de 2010

louvação


isadora uma gata dos pampas


singela oração aos blogueiros desocupados

1

no dia 6 de agosto
cachorro que soy louco
com gosto
vou louvar o meu
senhor

2

salve-me
santíssimo salva/dor
da dor
do horror desta cidade
que um dia foi
dos goytacazes
mortos por urubus
da terra alheia

3

santíssimo
salva/dor
salve-me da santa ceia
salve-me
das virgens de pedra
das santas que não são fedras
as “padroeiras” do Brasil

4

salve-me
santíssimo salva/dor
da feracidade horrorosa
sal-ve-me
do encravo e da rosa
dos carnavais
no mês de abril

5

pro diabo
não sou santo
nem visto o corpo com manto
soy
couro cru & carne viva
soy
carne viva & couro cru
não tenho a língua
que medra
soy carNAvalha
na piedra
my sagrado y profano
aprendiz de los hermanos
canibais lá do xingu

6

não tenho amor pelas santas
meu sangue corre nas plantas
em minhas mãos
esmeril
mas tenho amor pelas putas
a prostituta que pariu

7

santíssimo
salva/dor
salve-me da dor
do desgosto
de desfraudar mês
agosto
bandeiras tropicanalhas
salve-me
das catequeses
dos evangélicos pastores
de amores
de sacristia
salve-me da hipocrisia
planalto central
céu azul

salve-me
deste país
e deste estado de surto
se é pra xingar
não me furto
na flor da pele não tem panos

salve-me
destes tiranos
dos campos
da américa do sul

arturgomes

canibália city
http://goytacity.blogspot.com




experimentações/interlinguagens

1

hoje em ti
amanheci
ana/brasília
mesmo
não sendo
mulher
ou filha
bem-te-quis
meu
bem-te-vi
ao levitar
em tuas asas
mergulhei mares
que em teus olhos
conheci

2

Xangô
é parte da pedra
Exu fagulha de ferro
Oxum espada de aço

faz do meu colo
teus braços

Oxossi carne da mata
Yemanjá água do mar
Yansã é fogo vento tempestade

Oxum é água doce
Oxalá em ti me trouxe
te canto como se fosse
um novo deus em liberdade

3

sou teu leão de fogo
todo jogo
que me propor eu topo

beber teu copo
comer da tua comida

encarnar de frente
a janela de entrada
e se for preciso
:
a porta de saída

4

moro no teu mato dentro
não gosto de estar por fora
tudo que me pintar eu invento
como o beijo no teu corpo agora

desejo-te pelo menos enquanto resta
partícula mínima micro solar floresta
sendo animal da mata atlântica
quântico amor ou meta física
tudo que em mim não há respostas

metáfora d´alquimim fugaz brazílica
beijo-te a carne que te cobre os ossos
pele por pele pelas tuas costas

os bichos amam em comunhão na mata
como se fosse aquela hora exata
em que despes de mim o ser humano
e no corpo rasgamos todo pano
e como um deus pagão pensamos sexo.

arturgomes
http://pelegrafia.blogspot.com




o sem nome

não quero o silêncio
como arma
lira lero
de algum bolero
com letra
pra calar boca
água fria no fogo

quero o incêndio
a fogueira
sei o quanto me negas
o fruto proibido

mas oculto na noite
entro por porta dos fundos
e roubo
a maçã do pecado
enquanto dorme
e sonhas
com alices
no país das maravilhas


mergulho tuas ilhas
devasto teus porões
na sala
derrubo tua mobília
no quarto
devasso teus colchões

na cozinha
bebo do teu vinho
e como do teu pão
não tenho nome
sou o que te come
sem pedir perdão





a vingança do vampiro brasileiro

a rosa apodreceu
no jardim das oliveiras
o encravo
deu com a cara no muro
do palácio guanabara

a filha
tem duas caras
aos domingos reza pro santo
nas sextas
pro capataz
há muito tempo meu chapa
venderam a mãe pro diabo
pensando fosse capaz




isadora

onde teus pés
bailarina dançam
cato os vestígios do tempo
onde teus olhos
bailarina olham
um gato
passeia no teu colo
e na vidraça
o giz derrama poesia
escritas
com punhos de ontem
em tua cidade
de serras
onde teus braços
bailarina sustentam
tuas mãos
que colhem uvas
coloco águas
de chuva
para que teus vinhedos
não cessem
e deles
brotem sempre
da flor o fruto sagrado
e os teus segredos
guardados
entre os teus lábios
de vinho

arturgomes
http://musadaminhacannon.blogspot.com/
Olá Artur!
Acho interessante a maneira como vocês contemplam os motivos e detalhes mais simples,e que muitas vezes passam despercebidos por nós, principalmente nas grandes cidades em que o acúmulo de imagens e informações se embaralham gerando aproveitamento zero da essência da contemplação que na verdade, exige a imaginação, esta que é o pulsar da arte e julgo particularmente essencial para se viver.
Muito legal ver que como os pequenos detalhes ainda conseguem trazer energia criativa para muitos peitos açoitados que habitam este mundo meio anjo e meio cão.
Parabéns! Como já tinha escrito, não há muito o que se comentar, adoro ler suas poesias e já falei para outros colegas aqui de Corumbá fazerem o mesmo, e, também admiro a simplicidade do olhar de vocês que gera estes vídeos.
Observo entre os alunos da escola que isto está cada vez mais raro entre esta nova geração de jovens que vem se formando.
Abraços e uma boa tarde.
Alcinéia

Um comentário:

  1. Olá! Somos um novo blog pintando na área. Contamos com sua visita, com sua força, com seu apoio.

    Visite a gente:

    http://baudosblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir