sexta-feira, 21 de maio de 2010

virada cultural paulista




Virada Paulista ocorre este fim de semana em 30 cidades; shows de Cat Power e Mudhoney são destaque

Cat Power é uma das atrações internacionais da 4ª edição da Virada Cultural Paulista



Com atrações musicais como destaque, a 4ª edição da Virada Cultural Paulista ocorre esse fim de semana em 30 cidades do Estado, incluindo regiões do interior, Baixada Santista e do ABC. O evento começa no fim da tarde de sábado (22) e termina no fim da tarde de domingo (23).
Entre as atrações internacionais que participam desta Virada estão a cantora norte-americana Cat Power, o músico franco-espanhol Manu Chao, a banda grunge norte-americana Mudhoney e o compositor e músico francês Yann Tiersen (veja na tabela abaixo as cidades onde eles se apresentam).
Atrações nacionais como Antonio Nóbrega, Bebel Gilberto, Cachorro Grande, CPM 22, Elba Ramalho, Funk como Le Gusta, Mundo Livre S/A, Nina Becker, Pitty, Sandra de Sá, Titãs e Tom Zé também estão na programação do evento.

Entre os espetáculos de teatro destaca-se a peça "O Homem Inesperado", com Nicette Bruno e Paulo Goulart, que será apresentada em Indaiatuba e Jundiaí. Já a São Paulo Cia. de Dança é atração na cidade de Jundiaí.
A Virada Paulista também dá espaço a arte urbana, com intervenção de grafiteiros como Binho Ribeiro, Boleta e Zezão em algumas cidades, e ao cinema -- uma novidade este ano é a realização de uma mostra com os 53 melhores filmes do Festival do Minuto, que será apresentada em Ribeirão Preto, Santos, Caraguatatuba, Jundiaí, Marília, São José do Rio Preto, São Carlos, Presidente Prudente e Araraquara.

Orçamento recorde

No total, a Virada conta com 1077 atrações, todas gratuitas, e tem orçamento recorde para o evento: R$ 6,5 milhões. Em 2009, quando a Virada teve cerca de metade das atrações desta edição, o investimento foi de R$ 5,5 milhões.
Para efeito comparativo, a Virada Cultural na cidade de São Paulo, ocorrida no último fim de semana, teve orçamento de R$ 8 milhões.
Veja no site oficial do evento a programação completa e, abaixo, veja os destaques por cidade.

DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO DA VIRADA CULTURAL PAULISTA DE 2010
ARAÇATUBA
Intervenção do grafiteiro Zezão (22/5 às 19h) e Sandra de Sá (23/5 à 0h)
Palco externo (Praça Getúlio Vargas)
ARARAQUARA
Lenine (23/5 à 0h) e Manu Chao (23/5 às 17h)
Praça Pedro de Toledo
ASSIS
Toquinho (23/5 à 0h) e CPM 22 (23/5 às 17h)
Estação Parada das Artes
BAURU
Ultraje a Rigor (23/5 à 0h) e Diogo Nogueira (23/5 às 17h)
Parque Vitória Régia
BERTIOGA
Izzy Gordon (23/5 à 0h)
Praça de eventos
CARAGUATATUBA
Sepultura (23/5 à 0h) e batalha de b.boys (23/5 às 15h)
Praça de eventos e Praça do Travessão
CUBATÃO
Otto (23/5 às 17h)
Kartódromo Municipal
FRANCA
Tiê (22/5 às 19h30) e Leci Brandão (23/5 às 17h)
Ginásio de Esportes Pedrocão
GUARUJÁ
Show Cérebro Eletrônico (23/5 à 0h)
Praça 14 Bis
INDAIATUBA
Peça "O Homem Inesperado" (22/5 às 20h30), Pitty (23/5 à 0h) e Bebel Gilberto (23/5 às 17h)
CIAEI (peça teatral) e Parque Ecológico (Pitty e Bebel Gilberto)
ITANHAÉM
Tetê Espíndola (23/5 às 17h)
Praça Narciso de Andrade (Centro Histórico)
JUNDIAÍ
São Paulo Cia de Dança (22/5 às 18h), Cat Power (22/5 às 22h30) e Zeca Baleiro (23/5 à 0h)
Teatro Polytheama (São Paulo Cia. de Dança e Cat Power) e Parque da Uva (Zeca Baleiro)
MARÍLIA
Quintento em Branco e Preto (22/5 às 19h30) e Paralamas do Sucesso (23/5 às 17h)
Parque externo (av. Sampaio Vidal, esquina com a r. São Carlos)
MOGI DAS CRUZES
Funk como Le Gusta (22/5 às 19h30) e Mudhoney (23/5 à 0h)
Palco externo (av. Cívica)
MOGI-GUAÇU
Arnaldo Antunes (23/5 à 0h)
Palco externo (av. dos Trabalhadores, em frente ao Museu Municipal)
MONGAGUÁ
Show Grooveria (23/5 às 17h)
Praça de Eventos Dudu Samba
PERÚIBE
Farufyno (23/5 à 0h)
Espaço Cultural Chico Latim
PIRACICABA
Paralamas do Sucesso (23/5 à 0h), Osesp (23/5 às 17h), Yann Tiersen (22/5 às 22h30) e Toquinho (23/5 à 0h)
Palco externo - Engenho Central (Paralamas e Toquinho) e Teatro Municipal (Yann Tiersen e Osesp)
PRAIA GRANDE
Bruna Caram (23/5 à 0h)
Complexo Cultural Palácio das Artes
PRESIDENTE PRUDENTE
Lobão (22/5 às 19h30) e Dona Ivone Lara (23/5 às 17h)
Parque do Povo
RIBEIRÃO PRETO
Paula Lima (22/5 às 19h) e Titãs (23/5 às 17h)
Palco externo (av. Orestes Lopes de Camargo, s/n - Jd. Jóquei Clube)
SANTA BÁRBARA D'OESTE
Elba Ramalho (23/5 à 0h) e Ultraje a Rigor (23/5 às 17h)
Palco externo (Centro Social Urbano)
SANTOS
Otto (22/5 às 19h30) e Manu Chao (23/5 à 0h)
Palco externo (Praça Mauá)
SÃO BERNARDO DO CAMPO
Raimundos (23/5 à 0h)
Paço Municipal
SÃO CARLOS
Negra Li (23/5 à 0h) e Lobão (23/5 às 17h)
Praça Coronel Salles e av. São Carlos, s/n (em frente ao palco externo)
SÃO JOÃO DA BOA VISTA
Yann Tiersen (23/5 às 16h30) e Elba Ramalho (23/5 às 17h)
Teatro Municipal e estação ferroviária
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
Diogo Nogueira (23/5 à 0h) e Mudhoney (23/5 às 17h)
Anfiteatro Nelson Castro
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
Mundo Livre S/A (22/5 às 23h), Jorge Aragão (23/5 à 0h) e Cat Power (23/5 às 17h)
Sesc S. José dos Campos (Mundo Livre) e Parque da Cidade (Jorge Aragão e Cat Power)
SÃO VICENTE
Tetê Espíndola (23/5 à 0h)
Praça Tom Jobim
SOROCABA
Baile do Simonal (22/5 às 20h) e Titãs (23/5 à 0h)
Parque dos Espanhóis e palco externo (av. Dom Aguirre, 5500)
Para ver a programação completa e mais informações sobre os endereços, acesse o site oficial da Virada.

Crítica a acervo de cobras do Butantã choca cientistas

São Paulo - Pesquisadores, comunidades científicas e o próprio diretor do Instituto Butantã, Otávio Mercadante, classificaram ontem como "equivocadas", "lamentáveis" e "tristes" as declarações do ex-presidente da Fundação Butantã Isaías Raw. Na quarta-feira, após o incêndio que destruiu a coleção de cobras e aracnídeos da instituição, única no mundo, Raw questionou a importância do acervo e sua produção científica e a competência dos responsáveis por ele, além de ter defendido prioridade da produção de vacinas.

O diretor do Instituto Butantã, Otávio Mercadante, disse que o órgão "entende como equivocada a avaliação de que a área de pesquisa tenha importância inferior à de produção". "O professor Isaías Raw é um cientista respeitado internacionalmente, mas sua ponderação sobre as coleções zoológicas está equivocada. Prova disso é que países desenvolvidos têm investido cada vez mais recursos na manutenção e ampliação dessas coleções", afirmou.
Já a Sociedade Brasileira de Zoologia disse que "é lamentável encontrar um tamanho desprezo sobre o conhecimento biológico" do País. "É como se, durante o velório de um ente querido, a família fosse obrigada a aturar um lunático invadindo o salão, estourando uma garrafa de champanhe e celebrando a ausência definitiva do morto", compara um texto divulgado por um grupo de pós-graduandos do departamento de Zoologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP).
Em resposta a reclamações de que sua gestão não valorizou os acervos, o pesquisador, de 82 anos, disse na quarta que cabe aos pesquisadores do instituto buscar apoio em agências de fomento à ciência. "Se não conseguir, é porque não tem competência". E questionou as coleções. "Não é para juntar cobra para brincar no laboratório."
Em nova manifestação feita ontem, por carta, Raw afirmou que já havia recomendado que a coleção não fosse conservada em álcool, pelo risco de incêndio. Também afirmou que o sequenciamento do DNA dos animais da coleção é mais importante que guardá-los. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Parlamentares que criticam
alteração no Ficha Limpa querem
se promover, diz Heráclito

O primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), rebateu as críticas à alteração ao texto do projeto Ficha Limpa, aprovado esta semana pela Casa. Segundo ele, os comentários de que a emenda de redação teria diminuído a abrangência do projeto vieram de deputados que “no fundo não queriam a aprovação do projeto em tempo recorde e por unanimidade”.
No trecho sobre a concessão do registro, a expressão “os que tenham sido condenados” foi substituída por “os que forem condenados”. Para alguns parlamentares, a alteração vai permitir que diversos políticos – que se encaixariam até então na lei – se candidatem nas próximas eleições.
“Lamento que alguns deputados, com o intuito de promoção pessoal, tenham tentado diminuir o que aqui foi votado. Dentre esses estavam os que, no fundo, não queriam a aprovação em tempo recorde e por unanimidade, como ela se processou no Senado. A verdade é que se há alguma falha na redação final, a Justiça vai dirimir todas as dúvidas”, disse.
Relator do projeto na Comissão de Constituição e Justiça, Demóstenes Torres (DEM-GO) explicou que a matéria não exclui políticos com condenações por órgãos colegiados. Segundo ele, o Artigo 3º do projeto trata dos casos em que o político condenado pela Justiça responde a processos em fase de recurso antes da sanção da nova lei.


Ator francês Louis Garrel estreia
como diretor e diz que sonha
trabalhar com Almodóvar


O ator francês Louis Garrel prestigia pré-estreia de filme no Festival de Cannes, em 18 de maio de 2010


Era pra ser uma sessão vazia de curtas-metragens numa mostra paralela do Festival de Cannes, mas a sala lotou. O motivo: o diretor de um dos filmes era o belo Louis Garrel, a maior estrela do cinema francês atual, de filmes como “Os Sonhadores”, de Bernardo Bertolucci, e o francês “Canções de Amor”.
Tímido e desajeitado, o contrário da figura sedutora dos filmes, Garrel subiu ao palco da Quinzena dos Realizadores para apresentar o média-metragem “Petit Tailleur” (o pequeno alfaiate), um charmoso e nostálgico filme em preto-e-branco de 45 minutos que faz uma bela homenagem à Nouvelle Vague. O filme mostra um alfaiate que se apaixona por uma bela atriz de teatro e pensa em largar tudo por ela, abandonando assim o velho alfaiate que lhe ensinou todo o ofício. Seu protagonista (Arthur Igual) é a cara de François Truffaut. A atriz do filme é vivida por Léa Seydoux, de “A Bela Junie”.
“É a história de um feliz desencontro, como são todos os amores. Filmei em preto-e-branco para criar um clima de conto de fadas. E porque Truffaut dizia que as pessoas estão cansadas de ver cores na TV de casa, esperam outra coisa do cinema”, disse em entrevista depois do filme.

Filho do cineasta Philippe Garrel, de “Amantes Constantes” e “A Fronteira da Alvorada”, ele ainda tem dúvidas se quer se tornar um diretor em tempo integral. “Ainda tenho medo de dirigir filmes. Não gosto da idéia de escrever um roteiro sozinho, é um processo de grupo, ainda preciso encontrar as pessoas certas”, confessa. Que tipo de filme gostaria de fazer? “Um melodrama, uma história de amor profundo e morte. Já me ofereci várias vezes para trabalhar com Almodóvar, mas ele só trabalha com atores espanhóis, seu estilo é esse”.
Enquanto Almodóvar não quer saber de Garrel, ele fará o mais ousado papel de sua carreira: um rapaz que quer trocar de sexo a qualquer preço, convencido de que nasceu no corpo errado, e tenta convencer sua namorada a fazer o mesmo, no filme “Lawrence Anyways”. O diretor é seu amigo canadense Xavier Dolan, de 21 anos, diretor de “Eu Matei Minha Mãe” e “Os Amores Imaginários”, exibido este ano em Cannes, no qual Garrel faz uma participação especial como o muso que despedaça os corações à sua volta.





Nenhum comentário:

Postar um comentário