terça-feira, 25 de maio de 2010

riverdies
































RIVERDIES é uma banda de rock alternativo, mas influenciada por todo tipo de boa música. Uma mistura de harmonias jazzísticas, ritmos em compassos diversos e melodias marcantes. Mas a intensidade sempre presente e os solos de guitarra fazem desse quinteto, essencialmente, uma banda de rock. As letras já são criadas naturalmente em inglês, refletindo a sonoridade com a qual os músicos sentem-se mais à vontade.

No início de 2000, Guilherme Farizeli - trompetista e já experiente baixista de jazz e música popular procurava por músicos para formar uma banda, a fim de trabalhar anos e anos de material produzido pelo músico. Porém, o baixista buscava pessoas que tivessem algum diferencial, o que naquela época não era algo já definido, era apenas um desejo quase inconsciente. Nessa busca, conheceu Leonardo Graterol - exímio guitarrista que havia tocado em bandas de thrash metal, estudado violão clássico e flamenco e que partilhava de muitas influências com o baixista. Empolgados com essa paixão em comum, principalmente pelas bandas de Seattle dos anos 90, os dois se juntaram a outros amigos e começaram a tocar covers dessas bandas pelos bares e pubs da cidade, ainda sem divulgar o próprio material.

Meses depois, um amigo em comum apresentou Guilherme ao guitarrista Filipe Buchaul Gomes que tocava covers de rock clássico e progressivo dos anos 70, mas também compartilhava muitas influências com os demais. Assim que Filipe (Fil Buc) mostrou suas muitas composições e habilidades, formou rapidamente com o baixista uma ótima química no trabalho de produção e arranjo do que viriam a ser as primeiras demos desses músicos juntos.
Um desses shows chamou a atenção do vocalista Alex Melch, que já tinha aquele repertório de covers na ponta da língua, e mais importante ainda, também era um compositor à procura de uma banda melhor para trabalhar suas músicas. Pronto. O projeto inicial, que era formar uma banda autoral começava a se consolidar, então eles resolveram que era hora de levar aquilo mais a sério e acabaram chamando o talentoso Alex para ajudá-los nessa empreitada. Estava formado então o quarteto que está junto até hoje.
Nos anos seguintes, a banda passou a dedicar-se de forma integral a compor material próprio e ao mesmo tempo divulgar seu trabalho fazendo muitos shows pela cidade, até que no final de 2003, entraram em estúdio para registrar o que seria o primeiro álbum da banda, apenas apelidado de "Green Album". Todas as composições do início estavam ali em sua forma mais intensa, mas todo o estresse gerado pela falta de investimento, acarretou no arquivamento do projeto. Aquele material tão incrível não estava ficando com a qualidade que a banda imaginava desde sempre, então arquivá-lo foi a decisão mais justa para os músicos naquele momento.
A decisão mais acertada parecia então, continuar investindo por conta própria. O "do it yourself" estava cada vez mais presente e fazia cada vez mais sentido para os músicos. Dessa acertada decisão, saíram os três primeiros demos do segundo disco, gravados e produzidos no home studio da banda. As versões de “These Words”, “Mileage” e “Still Remains” foram colocadas à disposição dos fãs na internet, tendo uma repercussão notável; as três ficaram entre as cinqüenta mais votadas do site durante alguns meses, tendo “Still Remains” atingido a marca de décima sétima música mais escutada. (Dados do próprio Soundclick.com, que contém centenas de milhares de artistas).
Dois grandes bateristas - Victor vön Draxeler e André Araújo; já estiveram ao lado dos quatro ao longo dos anos, mas atualmente Gustavo Lobato, velho conhecido do Leo, com o qual já tocou anteriormente, fecha a formação.

Vocal Alex Melch
Guitarra Leo Graterol
Guitarra Filipe Buchaul Gomes (Fil Buc)
Baixo Gui Farizeli
Bateria Guto Lobato

Nenhum comentário:

Postar um comentário