terça-feira, 13 de outubro de 2009




Ontem, depois de umas cervejas com salame que trouxemos de Bento Gonçalves, meus amigos Rodrigo, Adília e Isabela me levaram para conhecer a Ilha de Florianópolis. A praia de Moçambique foi a nossa primeira parada. O tempo estava instável com um vento muito forte e frio. Moçambique é uma praia selvagem, própria para a prática do surf, mas poucos surfistas aproveitavam a maré naquele momento. Seguimos então até a Barra da Lagoa, onde um mar azul e manso abriga a Escola Municipal de Surf de Floripa. Neste local, o oceano tem ligação com a Lagoa da Conceição através do Canal da Barra onde um pear de pedras serve de base para dois faróis. Durante um bom momento da tarde ficamos a nos deliciar com uma sequencia de camarão, um prato típico da ilha, acompanhado de algumas cervejas. O referido prato é servido com camarão ao bafo, camarão ao alho e óleo, camarão empanado, peixe ao molho de camarão, arroz, batata frita e salada com tomate alface pepino e pimentão. Isabela se fartou de camarão e nós obviamente também. Depois do almoço atravessamos uma ponte de madeira e fomos até a prainha que fica do outro lado da montanha, que é habitada em sua maioria por estrangeiros, ou pessoas de outros estados que se estabeleceram na Ilha onde há uma colônia de pescadores. Todo peixe e frutos do mar servidos nos diversos bares e restaurantes do local, é pescado ali mesmo. Isabela se encantou com a decoração de uma loja de tatuagem, cujo proprietário é um paulista radicado na Ilha há um ano.
Dali, já anoitecendo passamos pelo Mirante da Lagoa, um local belíssimo, onde pode-se apreciar a beleza de toda Ilha. Nos dirigimos depois para o Bairro da Lagoa, com uma primeira parada no Café Cultura, onde campari, e cervejas alemãs nos acompanharam por alguns momentos. Do Café fomos ao Floripa Bar, onde ao som de uma dupla local degustamos alguns chops, e voltamos ao Rio Vermelho, onde moram os meus amigos, já pela madrugada. A Ilha de Florianópolis já serviu de inspiração para o poeta Cruz e Souza, que a descreve em seu livro A Ilha do Desterro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário