terça-feira, 8 de setembro de 2009










Em dossiê, Nelsinho detalha plano com Renault e diz que estava "frágil"
Do UOL EsporteEm São Paulo

Conforme revelado na última quarta-feira, a investigação sobre o episódio da Renault em Cingapura começou com o aviso de Nelson Piquet ao presidente da FIA, Max Mosley, dias antes da demissão do filho. Já desligado da equipe, Nelsinho foi à sede da entidade em Paris para entregar um dossiê com a denúncia do que ocorreu naquela corrida.Na declaração entregue à FIA, Nelsinho confirma a versão divulgada na quarta-feira, de que teria aceitado bater deliberadamente na volta 13 do GP de Cingapura a fim de favorecer a vitória do companheiro Fernando Alonso. Ele ainda dá detalhes das conversas com o seu ex-chefe, Flavio Briatore, e o diretor de engenharia da Renault, Pat Symonds, e diz que estava "mentalmente frágil".O documento foi divulgado nesta quinta-feira, na íntegra, pelo site F1SA (Veja o documento na íntegra).
O testemunho tem quatro páginas, todas grafadas com um visto do piloto, e é encerrada por uma declaração formal: "Acredito e prometo que os fatos são verdadeiros". Em seguida, Nelsinho assina com a data do dia 30 de julho de 2009. "Faço esta declaração voluntariamente, para que a FIA possa exercer as suas funções de supervisão e regulação. Estou ciente de que há um dever para com todos os participantes do campeonato de Fórmula 1, para assegurar a legitimidade e a justiça da competição, e estou ciente das sérias consequências que eu poderia sofrer caso eu conceda à FIA qualquer falso testemunho", declara Nelsinho no documento. Veja os principais trechos a seguir.
Eu estava em um estado mental muito frágil. Discutíamos contrato mesmo em dias de corrida.
A reunião com Briatore"A proposta de causar um acidente deliberadamente foi feita logo antes da corrida, quando eu fui abordado por Briatore e Symonds. Na presença de Briatore, Symonds me perguntou se eu 'sacrificaria a minha corrida pela equipe, provocando a entrada do Safety Car'".
Estado mental frágil
"Durante aquela conversa, eu estava em um estado mental e emocional muito frágil. Isto se deu devido ao intenso stress causado pelo fato de que Briatore me recusou a informar se meu contrato seria ou não renovado na próxima temporada, como se costuma fazer a partir do meio do ano. E nós discutíamos regularmente essa renovação, mesmo em dias de corrida, quando deveríamos estar concentrados".
Em nenhum momento ninguém me disse que, se eu causasse o acidente, teria meu contrato renovado.

A decisão de aceitar bater
"O stress foi acentuado pelo fato de que eu ia largar em 16º no grid, então estava muito inseguro quanto ao meu futuro. Quando me pediram para bater, aceitei porque esperava que isso melhorasse a minha posição dentro da equipe. Em nenhum momento ninguém me disse que, se eu causasse o acidente, teria meu contrato renovado. Mas, naquele contexto, eu pensei que ajudaria".
A instrução do diretor
"Depois do encontro, Symonds me chamou para um canto e, usando um mapa, apontou a curva exata onde eu deveria bater. Essa curva foi escolhida porque não havia lá nenhum guincho que pudesse içar o carro, nem tinha saídas laterais, o que forçaria a entrada da equipe para retirar o carro danificado da pista. A estratégia"Symonds também me indicou a volta em que deveria causar o incidente, para que uma estratégia pudesse ser desenvolvida a fim de que o meu companheiro Fernando Alonso reabastecesse nos boxes logo antes da entrada do Safety Car, o que ele de fato fez na volta 12".
Nenhuma menção foi feita a respeito das implicações de segurança dessa estratégia, seja para mim mesmo, para o público ou os pilotos.

Despreocupação com segurança
"Durante essas conversas, nenhuma menção foi feita sobre qualquer preocupação a respeito das implicações de segurança dessa estratégia, seja para mim mesmo, para o público ou os outros pilotos. O único comentário feito nesse sentido foi de Pat Symonds, que me pediu para 'ter cuidado', o que eu entendi como que não deveria me machucar".Conversas no rádio"Para ter certeza de que eu iria causar o acidente na curva correta, eu chamei várias vezes a equipe no rádio para confirmar o número da volta, o que eu normalmente não faço".
Um engenheiro esperto teria percebido pela telemetria, porque eu acelerei quando a reação normal seria frear.
Sigilo
"Depois das conversas com Briatore e Symonds, a 'estratégia do acidente' nunca foi discutida com qualquer outro membro da equipe. Briatore me disse 'obrigado' discretamente no final da corrida, sem dizer nada mais. Não sei se alguém mais sabia dessa estratégia antes da corrida".Revelação"Depois da corrida, eu informei o Sr. Felipe Vargas, amigo e conselheiro da família, sobre o que aconteceu. Ele depois contou para o meu pai, tempos mais tarde".
Briatore me disse 'obrigado' discretamente no final da corrida, sem dizer nada mais. Não sei se alguém mais sabia dessa estratégia.
Primeiras suspeitas
"Depois da prova, vários jornalistas me perguntaram sobre o acidente e disseram que foi 'suspeito'. No meu próprio time, um engenheiro questionou a natureza do acidente. Respondi que eu havia perdido o controle do carro. Mas acho que um engenheiro esperto teria percebido, pela telemetria, que eu bati de propósito, porque eu continuei acelerando quando a reação normal seria frear".
Secretário de Cultura de Campos
leva um tremendo não na Barrinha

Se não bastasse o Não que levou do seu Loca, o dono do Tambor do Jongo da Barrinha, o Secretário de Cultura de Campos, neste último sábado dis 5 de setembro, ainda levou um sonoro NÃO de Mônica, uma das líderes da comunidade, lhe negando a Moenda centenária, jóia rara no Terreiro de Jongo, que agora é Ponto de Cultura, com gestão da ONG Pro Beach Vollei, que tem em sua presidência Heloisa Landim.

afiando a carNAvalha
para Eliakin Rufino

cocada agorasó se for de coco
paçoca de amendoin
cigarro só se for de palha
cacique só se for da mata
linguagem só tupiniquim

bala só se for de prata
água só se aguardente
tônica só se for com gin
estado só se for de surto
eleição só se for sem furto
brilho só no camarim

golaço só se for de letra
ronaldo só se for werneck
malandro só se mandarim
política só se for decente
partido só sem presidente
governo eu que mando em mim

batismo só se for de pia
congresso só de poesia
reinaldo só se for valinho
ainda mais se for jardim
roberta agora só se for cainelli
bruna só se for polleto
vestido pode ser a própria pele
que encobre a nudez do esqueleto

o beijoa gora só se for ao vivo
e-mail só se for inteiro
camila só se for pitanga
fantasia deve ser de tanga
carnaval a gente brinca em fevereiro

Por isso é que não querem a CPI da Petrobras.

Cada Conselheiro da Petrobras ganha por mês segundo o Diário Oficial R$76.542,59. Por mês!
São R$76.542,59 por mês, para cada um, além de "gratificação de férias, participação nos lucros e resultados, passagens aéreas, previdência privada complementar e auxílio moradia, despesas de locomoção e estada necessárias ao desempenho da função de conselheiro de administração."

Os Conselheiros:
Dilma Vânia Roussef
Guido Mantega
Silas Rondeau Cavalcante Silva (aquele que foi chutado do Ministério de Minas e Energia, e que o Lula queria de volta)
José Sérgio Gabrielli de Azevedo (Acumula com o salário de presidente da estatal)
Gen. Francisco Roberto de Albuquerque
Luciano Galvão Coutinho (Herdeiro do "Cangaceiro do Banco do Brasil")
Sergio Franklin Quintella (Sarney)
Fábio Colletti Barbosa ("laranja" de quem??)
Jorge Gerdau Johannpeter. (por isso o grande "apreço" pelo governo Lula)

Como se pode ver da última ata da assembléia geral dos acionistas da Petrobrás, transcrita parcialmente abaixo, é de R$ 8.266.600,00 a remuneração global A SER PAGA AOS ADMINISTRADORES: CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Item VII: Pelo voto da maioria dos acionistas presentes, em conformidade com o voto da representante da União, foi aprovada a fixação da remuneração global a ser paga aos administradores da Petrobras em R$8.266.600,00 (oito milhões, duzentos e sessenta e seis mil e seiscentos reais), no período compreendido entre abril de 2009 e março de 2010, aí incluídos: honorários mensais, gratificação de férias, gratificação natalina (13º salário), participação nos lucros e resultados; passagens aéreas, previdência privada complementar, e auxílio moradia, nos termos do Decreto nº 3.255, de 19.11.1999, mantendo-se os honorários no mesmo valor nominal praticado no mês precedente à AGO de 2009; Foi aprovada a delegação ao Conselho de Administração competência para efetuar a distribuição individual dos valores destinados ao pagamento da remuneração dos membros da Diretoria Executiva, observado o montante global e deduzida a parte destinada ao Conselho de Administração e condicionada à observância dos valores individuais constantes da planilha de Remuneração Máxima dos Administradores, nos termos da Nota DEST/CGC nº 79/2009, de 2 de abril de 2009, do Departamento de Coordenação e Controle das Empresas Estatais; Foi também aprovada a fixação dos honorários mensais dos membros do Conselho de Administração e dos titulares do Conselho Fiscal excluídos os valores relativos a: gratificação de férias, participação nos lucros e resultados, passagens aéreas, previdência privada complementar e auxílio moradia, bem como custear as despesas de locomoção e estada necessárias ao desempenho da função de conselheiro de administração."

Quem se interessar, pode conferir aqui (páginas 66-67):
(http://legis.senado.gov.br/sil-pdf/Plenario/Senado/DocsPlen/Ata/20090623DO103.pdf)
http://www2.petrobras.com..br/ri/port/InformacoesAcionistas/pdf/ATA_AGO_08abr09_port.pdf
(A íntegra da ATA) http://www.blogalvarodias.com/2009/06/conselheiros-privilegiados/
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/petrobras-caixa-preta-ata-governo-5684415029264939885/

Carta aberta,
de Eliane Sinhasique,
para Renato Aragão, o Didi.
Dou nota DEZ para essa mulher....

enviada por Daniela Passos

Querido Didi,
Há alguns meses você vem me escrevendo pedindo uma doação mensal para enfrentar alguns problemas que comprometem o presente e o futuro de muitas crianças brasileiras. Eu não respondi aos seus apelos (apesar de ter gostado do lápis e das etiquetas com meu Nome para colar nas correspondências). Achei que as cartas não deveriam sem endereçadas à mim. Agora, novamente, você me escreve preocupado por eu não ter atendido as suas solicitações. Diante de sua insistência, me senti na obrigação de parar tudo e te escrever uma resposta. Não foi por 'algum' motivo que não fiz a doação em dinheiro solicitada por você. São vários os motivos que me levam a não participar de sua campanha altruísta (se eu quisesse poderia escrever umas dez páginas sobre esses motivos).

Você diz, em sua última Carta, que enquanto eu a estivesse lendo, uma criança estaria perdendo a chance de se desenvolver e aprender pela falta de investimentos em sua formação. Didi, não tente me fazer sentir culpada. Essa jogada publicitária eu conheço muito bem. Esse tipo de texto apelativo pode funcionar com muitas pessoas mas, comigo não. Eu não sou ministra da educação, não ordeno e nem priorizo as despesas das escolas e nem posso obrigar o filho do vizinho a freqüentar as salas de aula. A minha parte eu já venho fazendo desde os 11 anos quando comecei a trabalhar na roça para ajudar meus pais no sustento da minha família.

Trabalhei muito e, te garanto, trabalho não Mata ninguém. Muito pelo contrário, faz bem! Estudei na escola da zona rural, fiz Supletivo, estudei à distância e muito antes de ser jornalista e publicitária eu já era uma micro empresária. Didi, talvez você não tenha noção do quanto o Governo Federal tira do nosso suor para manter a saúde, a educação, a segurança e tudo o mais que o povo brasileiro precisa. Os impostos são muito altos! Sem falar dos Impostos embutidos em cada alimento, em cada produto ou serviço que preciso comprar para o sustento e sobrevivência da minha família.

Eu já pago pela educação duas vezes: pago pela educação na escola pública, através dos impostos, e na escola particular, mensalmente, porque a escola pública não atende com o ensino de qualidade que, acredito, meus dois filhos merecem. Não acho louvável recorrer à sociedade para resolver um problema que nem deveria existir pelo volume de dinheiro arrecadado em nome da educação e de tantos outros problemas sociais. O que está acontecendo, meu caro Didi, é que os administradores, dessa dinheirama toda, não têm a educação como prioridade. Pois a educação tira a subserviência e esse fato, por si só não interessa aos políticos no poder. Por isso, o dinheiro está saindo pelo ralo, estão jogando fora, ou aplicando muito mal.

Para você ter uma idéia, na minha cidade, cada alimentação de um presidiário custa para os cofres públicos R$ 3,82 (três reais e oitenta e dois centavos) enquanto que a merenda de uma criança na escola pública custa R$ 0,20 (vinte centavos)! O governo precisa rever suas prioridades, você não concorda? Você pode ajudar a mudar isso! Não acha? Você diz em sua Carta que não dá para aceitar que um brasileiro se torne adulto sem compreender um texto simples ou conseguir fazer uma conta de matemática. Concordo com você.

É por isso que sua Carta não deveria ser endereçada à minha pessoa. Deveria se endereçada ao Presidente da República. Ele é 'o cara'. Ele tem a chave do Cofre e a vontade política para aplicar os recursos. Eu e mais milhares de pessoas só colocamos o dinheiro lá para que ele faça o que for necessário para melhorar a qualidade de vida das pessoas do país, sem nenhum tipo de distinção ou discriminação. Mas, infelizmente, não é o que acontece... No último parágrafo da sua Carta, mais uma vez, você joga a responsabilidade para cima de mim dizendo que as crianças precisam da 'minha' doação, que a 'minha' doação faz toda a diferença.

Lamento discordar de você Didi. Com o valor da doação mínima, de R$ 15,00, eu posso comprar 12 quilos de arroz para alimentar minha família por um mês ou posso comprar pão para o café da manhã por 10 dias. Didi, você pode até me chamar de muquirana, não me importo, mas R$ 15,00 eu não vou doar. Minha doação mensal já é muito grande. Se você não sabe, eu faço doações mensais de 27,5% de tudo o que ganho. Isso significa que o governo leva mais de um terço de tudo que eu recebo e posso te garantir que essa grana, se ficasse comigo, seria muito melhor aplicada na qualidade de vida da minha família.

Você sabia que para pagar os impostos eu tenho que dizer não para quase tudo que meus filhos querem ou precisam? Meu filho de 12 anos quer praticar tênis e eu não posso pagar as aulas que são caras demais para nosso padrão de vida. Você acha isso justo? Acredito que não. Você é um homem de bom senso e saberá entender os meus motivos para não colaborar com sua campanha pela educação brasileira. Outra coisa Didi, mande uma Carta para o Presidente pedindo para ele selecionar melhor os ministros e professores das escolas públicas. Só escolher quem, de fato, tem vocação para ser ministro e para o ensino. Melhorar os salários, desses profissionais, também funciona para que eles tomem gosto pela profissão e vistam, de fato, a camisa da educação.

Peça para ele, também, fazer escolas de horário integral, escolas em que as crianças possam além de ler, escrever e fazer contas possa desenvolver dons artísticos, esportivos e habilidades profissionais. Dinheiro para isso tem sim! Diga para ele priorizar a educação e utilizar melhor os recursos. Bem, você assina suas cartas com o pomposo título de Embaixador Especial do Unicef para Crianças Brasileiras e eu vou me despedindo assinando...

Eliane Sinhasique - Mantenedora Principal dos Dois Filhos que Pari.

P.S.: Não me mande outra carta pedindo dinheiro. Se você mandar, serei obrigada a ser mal-educada: vou rasgá-la antes de abrir.
PS2* Aos otários que doaram para o criança esperança. Fiquem sabendo, as organizações Globo entregam todo o dinheiro arrecadado à UNICEF e recebem um recibo do valor para dedução do seu imposto de renda.
Para vocês a Rede Globo anuncia: essa doação não poderá ser deduzida do seu imposto de renda, porque é ela quem o faz.
PS3* E O DINHEIRO DA CPMF QUE PAGAMOS DURANTE 11(ONZE) ANOS? MELHOROU ALGUMA COISA NA EDUCAÇÃO E NA SAÚDE DURANTE ESSES ANOS?
BRASILEIROS PATRIOTAS (e feitos de idiotas) DIVULGUEM ESSA REVOLTA....

Aprovação do governo Lula oscila
quatro pontos para baixo, diz pesquisa

A avaliação do governo federal e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva oscilou negativamente em setembro deste ano, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta terça-feira. A aprovação da população brasileira ao governo do presidente Lula caiu de 69,8% em maio de 2009 para 65,4% em setembro. Já a avaliação positiva do presidente caiu de 81,5% em maio para 76,8% em setembro.

O diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, avalia que Lula e o governo tiveram queda na sua avaliação positiva em consequência de três fatores: o discurso do presidente de assumir as crises que atingem o país, aliado à crise que atingiu a Receita Federal e a percepção dos brasileiros em relação à ineficácia da saúde pública --especialmente após o surto de gripe suína.

"Acredito que a queda é uma conjunção de três fatores, especialmente a postura política de comunicação do presidente Lula, com o discurso de linguagem de comunicação distante da população. Também há o efeito Lina Vieira (ex-secretária da Receita) e Dilma Rousseff (ministra da Casa Civil), onde temos pauta continuamente negativa, e a percepção da saúde", afirmou Guedes.

Em março deste ano, o governo Lula registrou a primeira queda em sua popularidade desde setembro do ano passado, quando a gestão do petista vinha registrando sucessivos recordes positivos. Em maio, a popularidade do governo voltou a crescer, mas caiu novamente este mês. Em setembro do ano passado, Lula teve avaliação pessoal considerada como positiva por 77,7% da população, enquanto o governo também foi avaliado positivamente por 68,8% dos brasileiros.
Entre os eleitores que avaliam negativamente o governo federal, o índice subiu de 5,8% em maio para 7,2% em setembro. Já os eleitores que avaliam o governo como regular somam 23,9% em maio contra 26,6% em setembro deste ano.

A avaliação negativa do presidente Lula também caiu em setembro, de acordo com a pesquisa. Segundo a CNT/Sensus, 18,7% dos brasileiros desaprovam o petista. Em maio, o índice negativo de Lula era de 15,7%. Outros 4,6% não responderam à pergunta em relação ao desempenho do presidente Lula.

Histórico
Até janeiro deste ano, os índices de popularidade de Lula foram superiores às avaliações de sua popularidade registradas em janeiro de 2003 --o ano em que foi empossado no cargo-- quando obteve 83,6% de aprovação.

O cenário mudou em março, de acordo com a CNT/Sensus, em consequência da crise econômica internacional. Os patamares positivos de avaliação do governo e do presidente voltaram a subir em maio, mas agora caíram novamente.
A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro, em 136 municípios de 24 Estados. Foram ouvidas 2.000 pessoas, e a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou menos.

Leia mais
Pesquisa não influencia candidatura, diz Marina Silva
Lula passa por crise sem perder alta aprovação
Vantagem de Serra vai de 13 pontos no Nordeste a 40 em SP

Chuvas e vendavais atingiram 40
cidades de SC; quase 65 mil foram afetados

Atualizada às 18h18


As fortes chuvas e ventos que atingiram Santa Catarina na madrugada desta terça-feira (8) afetaram 40 municípios do Estado, de acordo com nota da Defesa Civil Estadual. De acordo com o último balanço, quase 65 mil pessoas foram afetadas no Estado, e entre elas 3501 estão desabrigadas e 1573 desalojadas. Ao todo, 138 ficaram feridas e 9301 edificações sofreram alguma avaria.

Forte vendaval deixou casas destelhadas e causou destruição em Santa Catarina
Veja imagens das chuvas no Sul e Sudeste
"Situação é desesperadora", diz prefeito de Guaraciaba (SC)
Deslizamento de terra mata dois e deixa três desaparecidos em Osasco (SP)
Casa desaba e duas crianças estão desaparecidas na zona leste de SP
Guaraciaba, no oeste catarinense, foi a mais atingida, com o registro de de quatro mortes.
De acordo com o prefeito da cidade, Ademir Zimmerman, "a situação é desesperadora". Os municípios de Santa Terezinha do Progresso, São Domingos, Vargeão, Vargem Bonita e Dionísio Cerqueira decretaram situação de emergência.

No oeste, o município de Caçador comunicou o destelhamento de 90 residências, enquanto Abelardo Luz sofreu com a forte chuva de granizo que provocou prejuízos em pelo menos 370 residências. O município de São Domingos estava sem comunicação, enquanto a localidade de Campina da Alegria, no município de Vargem Bonita, sofre com a falta de água e energia elétrica, verificando o destelhamento de 180 residências. O município de Ipuaçu estava sem energia e com registros de destelhamento de casas e queda de árvores.

O município de Coronel Martins estava sem comunicação e energia elétrica, com destelhamento e queda de árvores. Monte Castelo informou aos técnicos da Defesa Civil Estadual a existência de cerca de 100 residências atingidas, com pelos menos dois feridos, sendo uma vítima de infarto e 80 desabrigados. Penha, na foz do rio Itajaí-Açu estava sem água e sem eletricidade, além de contar com 150 residências atingidas pelas chuvas. Em Blumenau, no Vale do Itajaí, foram verificados destelhamentos, quedas de árvores e o desabamento de um galpão da empresa Auto Viação Catarinense.

Além destes, registraram ocorrências Itajaí, Jaraguá do Sul, Navegantes, Porto União, Schroeder, Santa Cecília, Canoinhas, Santa Terezinha, Faxinal dos Guedes, Tigrinhos, Guaramirim, Rio das Antas, Lebon Régis, Joinville, Itaiópolis, Salto Veloso, Bom Jesus, São Bento do Sul, Campo Erê e São Bernardino. De acordo com o secretário da Defesa Civil Estadual, major Márcio Luiz Alves, os números devem aumentar com o repasse das informações para a Defesa Civil Estadual. "A real dimensão dos danos só teremos nas próximas horas", observou Alves, na nota.
do UOL Notícias

Drummundo

eu sou drummundo
e me confundo
na matéria
amorosa
posso estar
na fina flor
da juventude
ou atitude
de uma rima primorosa
e até na pele/pedra
quando me invoco
e me desbundo
baratino
e então provoco
umbarafundo
cabralino
e meto letra
no meu verso
estando prosa
e vou pro fundo
do mais fundo
o mais profundo
mineral
guimarães rosa

fala palavra fala

fala palavra fala
falasse fruta fel falar felada fome
fala fervura falo fogo falo festa
fala palavra fala fela
fala cidade fala favela
rio de janeiro
fevereiro carnaval
fala chacal
fala mangueira fala portela
muito prazer
o teu poema fala
fala poeta
que a palavra parte
fala palavra
arte
salta da pedra da gávea
pra dentro do teu poema
fala cabloco tupi
flecha de fogo tupã
curumim de ipanema
fala poema novo
de dentro da casca do ovo
fala carioca da gema

fulinaimânica: jura não secreta

quero dizer que ainda arde
tua manhã em minha tarde
a tua noite no meu dia
e tudo em nós que já foi feito
com prazer inda faria

quero dizer que ainda é cedo
ainda tenho um samba enredo
tudo em nós é carNAval
é só vestir a fantasia

quero ser teu mestre/sala
e você porta/bandeira
quando chegar na quarta-feira
a gente inventa outra fulia

pequeno tratado entre o poeta
e sua musa num ritual inacabado

em teu mato grosso meto pés e mãos
devasso saio entro desço
até o fundo do teu poço
dedos intra músculos roço
pele pela mata a dentro
selva impulso sol clareia
a noite dos devassos
no reverso
salto inverso sobre o verso
dos teus flancos

cavalo sou próprio dos pastos
muito além da mesa posta
esperma sangue lua cheia
do pantanal ao mangue
ao corpo me ofereço
em profana sinfonia

nenhuma alma é santa
toda carne pasta
de santidade basta
meu destino: algaravia

veraCidade

por quê trancar as portas
tentar proibir as as entradas
se já habito os teus cinco sentidos
e as janelas estão escancaradas?

um beija-flor risca no espaço
algumas letras de um alfabeto grego
signo de comunicação indecifrável.

eu tenho fome de terra
e esse asfalto sob a sola dos meus pés
agulha nos meus dedos.

quando piso na augusta
o poema dá um tapa na cara da paulista
flutuar na zona do perigo
entre o real e o imaginário
joão guimarães rosa caio prado martins fontes
um bacanal de ruas tortas

eu não sou flor que se cheire
nem mofo de língua morta
o correto ficou na cacomanga
matagal onde nasci

com os seus dentes de concreto
são paulo é quem me devora
e selvagem devolvo a dentada
na carne da rua aurora.

Viagem Tropical

ah! meu amor
que maravilha!
apesar dessa quadrilha
tudo aqui
vai muito bem
tudo aqui
vai nada mal
ainda estamos
em Brasilha
ou isto aqui
já é um novo
Pantanal?

sem greve de fome

persigo a caça
como quem brinca
com a palavra perigo
sem temer o risco
de expor a alma a venda
pro diabo ou pro bandido
no roll dos mocinhos de cinema
meu nome há muito tempo
foi banido

sem greve de fome
farejo a caça
como o sumo sacerdote
com a hóstia pronta para a boca
e os dentes prestes para o bote

Travessia

de almada
vou atravessar o tejo
barco a vela
portugal afora
em lisboa
vou compor
um fado
e cantar no porto
feito
um blues rasgado
de amor
pela senhora
que me espera
em paz

e todo vinho
que eu beber agora
será como beijo
que eu guardei inteiro
como um marinheiro
que retorna ao cais

Presidente da Câmara antecipa
nomes para comissões do pré-sal
e busca acordo para acabar com obstrução

O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), antecipou nesta terça-feira (8) os nomes dos presidentes e relatores das comissões que vão analisar os projetos do pré-sal enviadas pelo Executivo ao Congresso na última semana. O anúncio oficial, contudo, deverá ser feito apenas nesta quarta-feira.


O projeto mais cobiçado, que trata da mudança do sistema de concessão para o de partilha na exploração da nova camada de petróleo, terá como presidente Arlindo Chinaglia (PT-SP) e como relator Henrique Eduardo Alves (RN), líder do PMDB na Câmara. O projeto que trata da capitalização da Petrobras será analisado por uma comissão presidida por Arnaldo Jardim (SP), do oposicionista (PPS), e o relator do projeto será o ex-ministro da Fazenda e atual deputado federal pelo PT de São Paulo, Antonio Palocci.

A proposta que cria o fundo social terá como relator João Maia (PR-RN) e a comissão será presidida por Rodrigo Rollemberg (DF), líder do PSB. Já a matéria que cria a estatal Petro-Sal, que administrará a exploração do pré-sal, será relatada por um integrante do PP, em uma comissão que deverá ser presidida por Brizola Neto (PDT-RJ). O nome que tem sido apontado para a relatoria é o de Luiz Fernando Faria (MG).

Obstrução
Os nomes de Henrique Eduardo Alves e Antonio Palocci já eram dados como certos desde a semana passada. Havia um impasse em relação à disputa no PT, resolvida com a presidência destinada ao ex-presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia. Os outros nomes ainda podem sofrer alguma alteração até o anúncio oficial. Nesta quarta, Michel Temer vai se reunir com líderes da base governista e da oposição para resolver uma outra questão relacionada ao pré-sal. A oposição entrou em obstrução na última semana e assim permanece, em protesto contra a urgência para análise das propostas.

Com a urgência, definida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva antes do envio das matérias ao Congresso, o prazo para votação na Câmara e no Senado é de 90 dias. "Eu vou conversar com os líderes da oposição e do governo amanhã. Vamos tentar encontrar um caminho que vai nos permitir impedir a obstrução. Acho que todos poderão estar de acordo com a fórmula que vamos apresentar", disse Temer.

O presidente da Câmara afirmou que poderá ser negociado um prazo um pouco mais amplo, de até 60 dias, para a votação. "Isso vai depender da conversa com os líderes. Esse acordo será fielmente cumprido, eu serei de alguma maneira o fiador dessa composição, desse acordo".

A oposição cobra a retirada formal do pedido de urgência, que foi negada pelo presidente Lula em reunião com líderes da base aliada na última semana.


Mar de Búzios

vaza sob meus pés
um rio das ostras
enquanto minha mãos em conchas
passeiam o mangue dos teus seios
e provocam o fluxo do teu sangue
os caranguejos olham admirados
a volúpia dos teus cios
quando me entregas o que traz
por entre as praias e permites desatar
todos os nós do teu umbigo
transbordando mar de búzios- oceanos
atrlântico pulsar entre dois corpos
que se descobrem peixes
e mergulham profundezas
qualquer que seja a hora
em que se beijam num pontal
em comunhão total com a natureza

língua nova
a língua
escava entre os dentes
a palavra nova
fulinaimânica
sagarínica
algumas vezes muito prosa
outras vezes muito cínica
tudo o que quero conhecer
a pele do teu nome
a segunda pele
o sobrenome

minha língua não tem pátria
no que posso
no que quero
a pele em flora flor da pele
a palavra dandi
em teu corpo nua

língua em fogo
a língua crua
a língua nova
a língua nua
fulinaímica
sagaranagem
palavra texto
palavra imagem
e no céu da tua boca
a língua viva
se transmuta na viagem.

Juras secreta 18

te beijo vestida de nua
somente a lua te espelha
nesta lagoa vermelha
porto alegre caís do porto
barcos navios no teu corpo
peixes brincam no teu cio
nus teus seios minhas mãos
e as rendas finas que vestias
sobre os teus pêlos ficção

todos os laços dos tecidos
e aquela cor do teu vestido
a pura pele agora é roupa
e o baton da tua boca
e o sabor da tua língua
tudo antes só promessa
agora hóstia entre os meus dentes

para espanto dos decentes
te levo ao ato consagrado
se te despir for só pecado
é só pecar que me interessa


lavra palavra

a lavra da palavra quero
quando for pluma
mesmo sendo espora
felicidade uma palavra
quando a lavra explora
se é saudade dói
mas não demora
e sendo fauna
linda como a flora
lua luanda
vem não vá embora
se for poema
fogo do desejo
quando for beijo
que seja como agora

pátria a(r)mada

só me queira assim caçado
mestiço vadio latino
leão feroz cão danado
perturbando o seu destino

só me queira enfeitiçado
veloz macio felino
em pêlo nu depravado
em tua cama sol à pino

só em queira encapetado
profanando àqueles hinos
malandro moleque safado
depravando os teus meninos

só me queira desalmado
cão algoz e assassino
duplamente descarado
quando escrevo e não assino

20 de fevereiro

fosse quântico esse dia
calmo
claro
intenso
inteiro
20 de fevereiro
sendo assim esperaria
mesmo que em meio a tarde
tempestades trovoadas
insanidades
guerras frias
iniquidade
angústia agonia
mesmo assim esperaria
20 horas
20 noites
20 anos
20 diasa
té quando esperaria?
até que alguém percebesse
que mesmo matando o amor
o amor não morreria

Bandeirante/marinheiro

quando tenho a tua vida
entre os meus dedos
o meu amor tem o seu jeito meio deda
pois tudo que é bom as vejas medra
tudo que é carne as vezes pedra
tudo que é vida as vezes fedra

quando passeio minha língua
em teus relevos
viajo teus contornos
trafego tuas costas
eu feito um fauno fausto
cavalo sem rédeas
cavalgo o mapa mundi do teu corpo
sem ultrapassar os teus limites
mesmo quando o amor
é praticado nas encostas.

quando em tuas matas
as vezes índio pássaro selvagem
animal passeio a minha língua
quando solto falo canto e cato os frutos
que ofereces quando vens a mim.

assim em cada marco de entradas
pasto porta cais ou porto
por onde angra nos teus cios
quero hastear minhas bandeiras
quero aportar com meus navios.








Nenhum comentário:

Postar um comentário