terça-feira, 25 de agosto de 2009




“Admiro a iniciativa de tentar unificar autores tão diversos num mesmo livro, numa mesma parada...”
Por IkaRo MaxX

E no epicentro da agonia podemos estar agora, mas, isso não quer dizer que ainda não teremos chance, muito pelo contrário... O homem mais feliz do mundo terá que ser um inquieto e miserável que já viu com os próprios olhos o abismo mais profundo ou que nele foi emergido. Há muito tempo que sinto isso, amigo, como se estivesse (sobre)vivendo em baixo d'água... mas sinto do que isso me tira de fôlego me devolve em força, coragem, em um amor profundo e um ódio visceral que me faz ainda sentir vivo. O resto ainda está fora da margem... prestes a ser escrito, com tinta indelével... tinta do destino com as cores da carne.
Pois é, pessoal... Admiro pessoas que são loucas o bastante para se jogar no esforço de ainda tentar extrair tinta deste tinteiro esvaziado, dessa realidade sucateada e fodida... Sou um deles, mas, me dirijo, agora, ao Elenilson Nascimento, esse baiano louco e estranho que me convidou para participar desta segunda seleção de poesias e se mostrou um cara que "vem com tudo, mesmo que os ventos estejam contrários". Admiro pessoas assim e admiro a iniciativa de tentar unificar autores tão diversos num mesmo livro, numa mesma parada...
Tenho a sorte também de possuir conhecidos, amigos, nessa história... Falo do meu grande amigo de vivências e poesia, Cezar Sturba, que mora hoje em Londres e batizou o meu primeiro livro, "Um Cristo Cuspido nos Espelho do Século", e da poetisa Renálide Carvalho. No mais, irei conhecer o trabalho de pelo menos 49 pessoas que - embora de outras "linhas" - não devem vacilar, ao menos com o papel e a caneta ou com os dedos no teclado... Cada um construindo suas canções solitárias, sua redenção ou confissão de cansaço... mas, sempre alçando a poesia, no fim de tudo.Grande abraço a todos que se esforçaram e que estão integrados nesta coletânea e que o leitor goze as páginas, lendo, o que gozamos escrevendo.

O talentoso IkaRo MaxX no túmulo do autor de
“O Retrato de Dorian Gray”, Oscar Wilde, em Londres.

Leia também Dionísio em Pedaços: “Liberdade, chama negra que arde. Labareda que lambe corpos, atitudes estranhas, voo solitários para além do limite da normalidadedo bem e do mal. Renúncia ao teatro burguês dos costumes esclerosados...”
CLIQUE AQUI e adquira o livro direto com a editora.
fonte: Dionísio em Pedaços

Nenhum comentário:

Postar um comentário