sexta-feira, 14 de agosto de 2009




fotos: ricardo avelino





caldeirão cultural

Eixo Nacional Skate Rock, Instinto R
Reubes Pess Poesia & Baratos Afins
Dia 22 agosto 20:00
Local: Taberna D Tutty
Rua das Pelmeiras, 13
Campos dos Goytacazes

Urbanidades

Dia 27 agosto 18:00h
Local: Sesc Campos
Eixo Nacional Skate rock
participação especial: Artur Gomes

jura secreta 6

o que passou
não ficará já foi
a menina dos meus olhos
roubou a tua menina
e levou para festa do boi

fosse um Salgado Maranhão
nosso batismo de fogo
25 de março
e o morro queimando em chamas
no canto pro tempo nascer

o amor que a gente faria
o sol acabou de fazer

jura secreta 7

fosse Sampa uma cidade
ou se não fosse não importa
essa cidade me transporta
me transborda me alucina
me invade
inter fere na retina
com sua cruel beleza
como Oswald de Andrade
e sua realidade
como Mário de Andrade
e sua delicadeza
jura secreta 8

teu nome pode ser um elo a ponte Rio Belo Horizonte Porto Alegre cais do porto não fosse o gosto que ainda tenho em minha boca do vinho que bebi em tua boca goiaba que roubei do teu pomar não fosse o nome elo e ponte ao menos fruta que ficou no paladar

jura secreta 9
não fosse o teu amor o meu conforto
e eu teu anjo torto como seria
se a jura secreta não fosse mais que um poema
e se eu não te amasse
como Glauber no cinema
o que tenho aqui no corpo em transe
:a quem daria?

jura secreta 10
fosse o que eu quisesse apenas um beijo roubado em tua boca
dentro do poema nada cabe nem o que sei nem o que não se sabe
e o que não soubesse do que foi escrito está cravado em nós como cicatriz no corte
entre uma palavra e outra do que não dissesse

jura secreta 11

engenho 484
para jiddu saldanha
gravada no cd
fulinaíma outras vozes outras falas

arrancar do gesto a palavra chave
da palavra a imagem xis
tudo por um risco
tudo por um triz
o trem bala (cospe esqueletos
no depósito da central)

fuzil pode ser nosso brinquedo:
novo enredo
para o próximo carnaval

jura secreta 12
fulinaíma outras vozes outras falas

entre a pele e a flor no asco com meia sola no sapato o meu vapor mais que barato industrial e infonáutico entre a pele de zinco e o cabelo mar de indecifrável plástico por entre os bronzes do teu pêlo entre o gozar cibernético em todo sangue magnético a minha carne pós poeira entre a flor e vaso de barro na home/page ou no carro na camisinha de Vênus vírus H corroendo em vita plus ou na sala meu olho gótico TVendo brazilírica lâmpada fala por um tanto ou tanto quase cento e dez em cada fase não sendo assim acaba sendo

jura secreta 13

o tecido do amor já esgarçamos
em quantos outubros nos gozamos
agora que palavro itaocaras
e persigo outras ilhas
na carne crua do teu corpo
amanheço alfabeto grafitemas
quantas marés endoidecemos
e aramaico permaneço doido e lírico
em tudo mais que me negasse
flor de lótus flor de cactos flor de lírios
ou mesmo sexo sendo flor ou faca fosse
Hilda Hilst quando então se me amasse

ardendo em nós salgado mar
e Olga risse olhando em nós
flechas de fogo se existisse

por onde quer que eu te cantasse
ou amavisse

jura secreta 14

gravada no CD
fulinaíma outras vozes outras falas
eu te desejo flores lírios brancos
margaridas girassóis rosas vermelhas
e tudo quanto pétala asas estrelas
borboletas alecrim bem-me-quer
e alfazema
eu te desejo emblema
deste poema desvairado
com teu cheiro teu perfume
teu sabor teu suor tua doçura
e na mais santa loucura
declarar-te amor até os ossos
eu te desejo e posso :
palavrArte até a morte
enquanto a vida nos procura

jura secreta 15
domingo vinte e sete
carnavalha em lâmina de gilete
ela cigarra em meus ouvidos

mágica sinfonia plasma em música
com tua voz flecha de fogo
fluído do amor em chamas

vaza por meus poros clave em sol
sustinidos mi bemol
crava-me sem dó zarabatana

coisa de índio à flor da pele
quando pele e som é o que se ama

estando aqui Brasília vista

porto inseguro estrada afora
quasar em mim pulsar agora
cristal em prisma Kátia Chamma

jura secreta 16
para mayara pasquetti
gravada no CD
fulinaíma outras vozes outras falas
fosse esta menina Monalisa
ou se não fosse apenas brisa
diante da menina dos meus olhos
com esse mar azul nos olhos teus
não sei se Michelângelo
da Vinci Dalí ou Portinari
te anteviram
no instante maior da criação

pintura de um arquiteto grego
ou quem sabe até filha de Zeus

e eu narciso amante dos espelhos
procuro um espelho em minha face
para ver se os teus olhos
já estão dentro dos meus

arturgomes



Nenhum comentário:

Postar um comentário