terça-feira, 28 de julho de 2009



Produtores Culturais Cariocas Protestam

o estopim da bomba acendeu-se com a denúncia de que emperesas de fundo de quintal subsidiam com recursos milionários da Petrobras, financiam atividades do MV Bill

Caro Baía:
Sabemos apenas a ponta de um grande aiciberg. Tudo no Brasil é patrimonialista. Quem tem algum poder só pensa em se dar bem. Só vejo três caminhos:
lutar para fazermos a mesma coisa: financiamento, proteção de estatal, verbas internacionais, apoio da Globo...
tocar nossa arte mundo afora, com garra, com potência molecular ou
ir pras infovias informar

Pode ser que essas três não se excluam, inclusive pelo estado confuso de nossa geração ideológica.
Já me considero derrotado pelo capitalismo e pelo arremedo de capitalismo do Brasil, uma burguesia jeca. Não estamos sabendo combinar as potências maravilhosas desse país. Como edcadores, pioramos, como administradores, nos entregamos; como artistas, não movimentamos.

Todos sabem que sou pessimista e todos sabem que nunca cruzei os braços, aliás, nunca cruzamos os braços.
A crise nossa é mais que moral, já não é mais crise, é estado de parto permanente.
O pacto petista-burguês faz favores econômicos para os de cima e os de baixo, mas foi costurado com linha conservadora (patrimonialista, oligárquica - vejam a ponta Sarney).
Não é só a vitória do rouba mas faz, é a mentalização mais profunda, introjeção cultural de uma anomia social: regras sociais de alcance restrito ou corrompido.
Então esse papo de regra não serve mais!

O projeto de comunidade é dominado por quem tem meios e mídias
O projeto de cultura é viciado e fulanizado
O projeto de país é jogar na série B
O pré-sal nos tirará da pobreza: multiplicarão os palacetes do lago sul, do Morumbi e da Lagoa

Vocês não acham que estava demorando muito aparecer um escândalo com essa galera do novo movimento sócio-cultual?
Vejam: ONGs têm que contratar empresa para tocar seus projetos. A empresa terceiriza, alaranja assinaturas e confunde o fisco. Tem como fulanos e beltranos (talvez um de nós) livrar-se dessa teia? Tem como alegarem ingenuidade? Bem o Presidente da República o faz. Impedimento para Lula e Cadeia para MV Bill?

Abraços

PS: nossa resposta tem que ser em atitude mas não me chamem para passeata. Que tal uma manifestação de um certo coletivo que vai se manifestar no aterro do flamento num domingo e fazer uma roda artística edizer que nosso lugar é a rua. Sejamos um pouco mais ANARQUISTAS!!!

Lúcio Celso Pinheiro - poeta urbano


É ISSO ÁI E OS CARAS AINDA SE DIZEM ARTISTAS, E NÃO PENSAM NOS PRETOS POBRES DAS CRACOLÂNDIAS DA VIDA QUE CRESCEM A OLHO NU. VAMOS A LUTA E DENUNCIAR ESSAS QUADRILHAS. JÁ BASTA BRASÍLIA PORRA.

MARCELO DE ALMEIDA

Mano Lucio,
Sua análise é perfeita e profunda e eu gosto muito da idéia de uma roda artístico-cultural que irá manifestar nossa indignação e posição a respeito de tudo isso( poesia, música, teatro, capoeira, circo, comidas e etc). Vamos botar isso em prática, penso que a primeira quinzena de outubro pode ser bom para marcarmos a data em função de toda produção e divulgação de um evento deste porte que você propõe. E eu já estarei de volta de Portugal no Brasil podendo botar a mão na massa com vocês!!!

Abs, Bebeto
www.abaiavive.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário