terça-feira, 7 de julho de 2009

Joaquim Barbosa: Por dizer a verdade
Análise política

Joaquim Benedito Barbosa Gomes é o nome dele.Conhecido como Joaquim Barbosa, apenas, ele é ministro do SupremoTribunal Federal do Brasil desde 25 de junho de 2003, quando nomeadopelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. É o único negro entre osatuais ministros do STF.Joaquim Barbosa nasceu no município mineiro de Paracatu em 7 deoutubro de 1954 (54 anos), noroeste de Minas Gerais.

É o primogênito de oito filhos.Pai pedreiro e mãe dona de casa, passou a ser arrimo de família quandoestes se separaram.Aos 16 anos foi sozinho para Brasília, arranjou emprego na gráfica doCorreio Braziliense e terminou o segundo grau, sempre estudando emcolégio público.Obteve seu bacharelado em Direito na Universidade de Brasília, onde,em seguida, obteve seu mestrado em Direito do Estado.

Prestou concurso público para Procurador da República e foi aprovado.Licenciou-se do cargo e foi estudar na França por quatro anos, tendoobtido seu Mestrado em Direito Público pela Universidade de Paris-II(Panthéon-Assas) em 1990 e seu Doutorado em Direito Público pelaUniversidade de Paris-II (Panthéon-Assas) em 1993.Retornou ao cargo de procurador no Rio de Janeiro e professorconcursado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Foi Visiting Scholar no Human Rights Institute da faculdade de direitoda Universidade Columbia em Nova York (1999 a 2000), e VisitingScholar na Universidade da California, Los Angeles School of Law (2002a 2003).Fez estudos complementares de idiomas estrangeiros no Brasil, naInglaterra, nos Estados Unidos, na Áustria e na Alemanha. É fluente em francês, inglês e alemão.

O currículo do ministro do STF Joaquim Barbosa que vocês acabam de ler foi extraído da Wikipédia, mas pode ser encontrado facilmente nos arquivos dos órgãos oficiais do Estado Brasileiro.

“E o que mostra esse currículo?”, perguntarão vocês. Antes de responder, quero dizer que o histórico de vida de Joaquim Barbosa pesa muito neste caso, porque mostra que ele, à diferença de seus pares, é alguém que chegou aonde chegou lutando contra dificuldades imensas que os outros membros do STF jamais sequer sonharam em enfrentar.

Não se quer aceitar, nesse debate – ou melhor, a mídia, a direita, o PSDB, o PFL, os Frias, os Marinho, os Civita não querem aceitar –, que Joaquim Barbosa é um estranho no ninho racialmente elitista que é oSupremo Tribunal Federal, pois esse negro filho de pedreiro do interior de Minas é apenas o terceiro ministro negro da Corte em 102 anos, conforme a Wikipédia, tendo sido precedido por Pedro Lessa (1907 a 1921) e por Hermenegildo de Barros (1919 a 1937).

E quem é o STF hoje no Brasil? Acabamos de ver recentemente nos casos Daniel Dantas, Eliana Tranchesi etc. É o que sempre foi: a porta por onde os ricos escapam de seus crimes. Joaquim Barbosa é isolado por seus pares pelo que é: negro de origem pobre numa Corte quase que exclusivamente branca nos últimos mais de cem anos, que julga uma maioria descomunal de causas que beneficiam a elite branca e rica do país.

Sobre o que ele disse ao presidente do STF, Gilmar Mendes, apenas repercutiu o que têm dito, em ampla maioria, juízes, advogados, jornalistas, acadêmicos de toda parte do Brasil e do mundo, que o atual presidente do Supremo, com suas polêmicas midiáticas, com denúncias de grampos ilegais que não se sustentam e que ele até já reconheceu que “podem” não ter existido – depois de toda palhaçada quefez –, desserve à instituição que preside e ao próprio conceito deJustiça.

Gilmar Mendes pareceu-me ter querido “pôr o negrinho em seu lugar”, e este, altivo, enorme, colossal, respondeu-lhe, com todas as letras, que não o confundisse com “um dos capangas” do supremo presidente “em Mato Grosso”. Falando nisso, a mídia poderia focar nesse ponto, sobre “Mato Grosso”, mas preferiu o silêncio. Esperemos... Recomendo-lhes que, depois de terminarem de ler este texto, voltem aqui e terminem de ler o currículo de Joaquim Barbosa na Wikipédia, clicando Aqui. Claro que muitos dirão que a Wikipédia é “aparelhada pelo PT”, sem darem maiores explicações sobre como e por que issoa contece. Mas eu concordo com o texto ali postado. A meu ver, está mais do que correto.

Finalmente, esse episódio revelou-se benigno para a nação, a meu juízo, pois mostrou que ainda resta esperança para a Justiça brasileira. Enquanto houver um só que enfrente uma luta aparentemente desigual para si simplesmente para dizer o que falam quase todos, porém sem que os poucos poderosos dêem ouvidos, haverá esperança. Enquanto um resistir, resistiremos todos. Joaquim Barbosa é um estranho no ninho do STF, entre a elite branca da nação, e está sendo combatido por isso e por simplesmente dizer a verdade em meio a um mar de hipocrisia. O Brasil inteiro sabe disso e essa talvez seja a verdade mais importante, pois dará conseqüência aos fatos, se Deus quiser.

Escrito por Eduardo Guimarães

SOU MEIO MALUCA OU MELHOR HERDEI DE LAIS PEIXOTO A MANIA DE ASSISTIR TV ALERJ,SENADO E ESSAS COISAS QUE NOS MATAM DE RAIVA POR NÃO PODERMOS RESPONDER NEM TECER OPINIÃO...
NO DIA DO OCORRIDO COM O MINISTRO EU ESTAVA DE FRENTE PRA TELINHA E ASSISTI ENTRE ABISMADA E FELIZ A INTREPIDEZ , A OUSADIA DO MINISTRO QUE TANTO ADMIRO...
LEIA E SE ORGULHE... INFELIZMENTE SÃO RARISSIMOS ESSES SERES...

Adriana Medeiros - por e-mail enviado ao blog

Nenhum comentário:

Postar um comentário