domingo, 7 de junho de 2009

Aos Inocentes úteis, que ainda acreditam na ingenuidade da nossa Rosinha:

Frutos podres dos galhos de uma
mesma árvore envenenada...

Para quem duvida de que alexandre macabro e o governo dos mil patetas da lapa tenham a mesma origem genética, e carreguem no dna, o mesmo apetite no ataque aos cofres públicos, aí está uma boa dica, publicada pelo blog das meninas superpoderosas, estouprocurandooquefazer.blogspot.com/....

Fundação José Pelúcio: velha conhecida dos Garotinhos
A Fundação José Pelúcio é velha conhecida das gestões anteriores do governo do Estado. A fundação foi a mesma que contratou servidores terceirizados em Campos, na gestão do ex-prefeito Alexandre Mocaiber. Uma leitora do blog fez um alerta sobre matéria publicada sobre a fundação, neste domingo, pelo jornal O Dia (07). Fomos lá conferir.

Com o título “Suspeita de fraude na Saúde”, a matéria do repórter Alfredo Junqueira aponta irregularidades no acordo fechado em outubro de 2006 (gestão da ex-governadora Rosinha Garotinho), entre a Secretaria Estadual de Saúde e a Fundação José Pelúcio, com dispensa de licitação. A reportagem se baseia em auditoria feita pelos atuais gestores do órgão, e que aponta um rombo de R$ 7,1 milhões aos cofres públicos. O contrato – no valor de R$ 9,26 milhões - fechado entre a fundação e a Secretaria Estadual de Saúde, em 2006, previa execução de atividades administrativas e compras para o “Projeto Aperfeiçoamento do Modelo Operacional” do Programa Samu.

De acordo com as investigações, a Fundação José Pelúcio deveria ter recebido apenas R$ 1,4 milhão pelos serviços e equipamentos fornecidos. A auditoria revelou “indícios de desvio, como superfaturamento, fornecimento de equipamento que não é apto para a realização do serviço contratado e não cumprimento de etapas de treinamento de pessoal”, entre outros. Um exemplo citado na matéria é o caso dos 74 notebooks comprados para serem instalados em ambulâncias do Samu, que além de não serem adequados para a função, tiveram seus preços superfaturados em três vezes mais que o valor de mercado.

Ainda de acordo com a auditoria, a ex-deputada e prima de Garotinho, e então subsecretária de Assistência à Saúde, Alcione Athayde, era a responsável pela assinatura das notas fiscais que atestaram a suposta prestação de serviços. Pela subsecretária passavam todos os processos de contratação e pagamentos à Fundação José Pelúcio.

Alcione Athayde, que chegou a ser detida durante a Operação Pecado Capital, no ano passado, será investigada junto com outros cinco servidores e ex-funcionários. O blog recebeu a informação de que ela teria embarcado, há nove dias (em 29/5/2009), para Miami

Xacal - direto da Trolha - http://atrolha.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário