quinta-feira, 7 de maio de 2009





Vaccari
Santo
Guerreiro
de Casa
Com grande satisfação que posto aqui no Blog dos Desocupados esta mensagem que recebi do meu brother, Márcio Vaccari, parceiro no Núcleo de Produção Áudio Visual Casa Cenográfica de Taubaté. Vaccari, multiplica-se entre o cinema, a poesia, o teatro e a publicidade. Seu filme institucional O TREM DO HORROR da campanha do PSOL, na disputa pela Prefeitura de Taubaté, virou manchete nacional, tal a tamanha criatividade, e a utilização quase zero de recursos econômicos para tal façanha.
No seu currículo cosnta também o sensacional programa A Gema do Novo que durante muitos anos foi exibido pela TV Bandeirantes em Sampa e região do Vale do Paraíba. Recentemente ele terminou de rodar em Parati, o documentário A Trilha do Ouro uma saga sobre a as entranhas da exploração do ouro em terras Bandeirantes.
SANTO DE CASA
No momento ele acaba de concluir a primeira etapa de filmagens do curta, Santo de Casa e me fala: "SANTO DE CASA é um longa e gira em torno de um suposto encontro entre Monteiro Lobato e Mazzarópi (ícones da cultura Taubateana e Brasileira) e tem como pano de fundo a cultura popular no Vale do Paraíba e o assassinato de travecas acontecidos na região.
Os crimes são cometidos pelo enigmático"Maníaco do Salto". Nas entrelinhas o filme traz as dificuldades de se produzir cinema de forma independente e absolutamente descompromissado com o lado comercial da coisa. Santo de Casa tá sendo rodado em 2 partes:
A primeira acaba semana que vem. A segunda parte do filme será rodada em julho. Eu tenho uma viagem prá fazer em junho. Esse é o motivo da paralização das filmagens e retomada em julho. Gostaria muito que você Artur interpretasse o Maníaco do Salto. Caso você esteja livre e queira participar do filme é só me retornar que eu te passo mais detalhes sobre o filme, sua personagem e data das filmagem.
Além disso, no momento tenho me apresentado nos palcos do Vale e pelo Sul de Minas ao lado do músico Ebran, a performance "BROTHAGEM" onde Eu falo meus poemas acompanhado pela Guitarra Blue do Ebran. As vezes o percussionistaToninho SuinGue faz uma participação especial com seus tambores tribais, aí a coisa Ganha uma cara mais Afro. Estamos rodando o Vale do Paraíba e o sul de Minas com esse espetáculo. Lá prá setembro a gente começa a cair pelas bandas de Sampa"
Para quem quiser saber um pouco mais de quem falo acesem: http://videolog.uol.com.br/vaccari


Sobre a Gripe Suína: Caros Amigos:

Estão surgindo indícios de que a gripe suína teve origem em gigantescas fazendas industriais de criação de suínos. Inclua seu nome no abaixo-assinado pedindo que a Organização Mundial da Saúde e a Organização para a Agricultura e Alimentação investiguem e controlem essas ameaças a nossa saúde:

Mobilize-se Agora

Ninguém sabe ainda se a gripe suína vai se tornar uma pandemia mundial, mas está ficando cada vez mais claro de onde ela veio: muito provavelmente de uma gigantesca fazenda industrial de criação de suínos mantida por uma corporação multinacional americana em Veracruz, México.
Essas fazendas industriais são repulsivas e perigosas e se multiplicam rapidamente. Milhares de porcos são brutalmente comprimidos para dentro de celeiros imundos e recebem um jato com um coquetel de drogas, pondo em risco sanitário mais do que simplesmente nossa alimentação. Esses animais e suas lagoas de estrume criam as condições ideais para gerar novos e perigosos vírus como o da gripe suína. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização para a Agricultura e Alimentação (FAO) precisam investigar e criar mecanismos de controle para essas fazendas a fim de proteger a saúde do mundo.

Grandes empresas de agronegócio tentarão obstruir qualquer tentativa de reforma, então precisamos de um protesto em massa que as autoridades de saúde não possam ignorar. Inclua seu nome neste abaixo-assinado pedindo uma investigação e controle de fazendas industriais e divulgue-o entre seus amigos e familiares, que nós o entregaremos aos órgãos da ONU. Se conseguirmos 200.000 assinaturas, entregaremos o abaixo-assinado à OMS, em Genebra, juntamente com um rebanho de porcos de papelão. Para cada 1000 assinaturas, acrescentaremos um porco ao rebanho:
http://www.avaaz.org/po/swine_flu_pandemic
Na semana passada, a gripe era o único assunto: o México tem estado quase em paralisia e em todo o mundo as autoridades suspenderam o tráfego aéreo, baniram as importações de carne de porco e iniciaram drásticas medidas de controle para atenuar a propagação do vírus. Enquanto a ameaça mostra sinais de apaziguamento, a questão se desloca para a origem e o modo de conter outro surto.

A Smithfield Corporation, maior produtor de suínos do mundo, cuja fazenda está sendo apontada como fonte do surto do vírus H1N1, nega qualquer ligação entre seus porcos e a gripe, enquanto grandes empresas de agronegócio em todo o mundo gastam enormes quantias de dinheiro em pesquisas para comprovar que a biossegurança é garantida na produção industrial de suínos. Porém, há anos a OMS tem dito que “uma nova pandemia é inevitável” e os especialistas da Comissão Europeia e da FAO têm alertado que a rápida transformação de pequenas propriedades em locais de produção industrial de porcos aumenta o risco de geração e transmissão de epidemias de doenças. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA alertam que os cientistas ainda não conhecem todos os efeitos que os compostos contagiosos produzidos em fazendas industriais têm sobre a saúde humana.

Há inúmeros estudos sobre as condições atrozes em que vivem os porcos nesses ambientes de produção concentrada e de grande escala, e sobre o devastador impacto econômico da produção excessiva e de grande escala sobre as comunidades de pequenos agricultores. A própria Smithfield já foi multada em $12,6 milhões e atualmente é alvo de uma investigação do governo americano devido a danos tóxicos causados por lagos de excrementos de porcos ao meio ambiente.
Porém, mesmo com todos esses indícios de danos, a combinação do aumento do consumo mundial de carne e de uma indústria poderosa motivada pelo lucro às custas da saúde humana significa que em vez de serem encerradas, as operações nocivas dessas fazendas industriais estão se multiplicando em todo o mundo, subsidiadas por nós mesmos. No rastro dessa ameaça da gripe suína, vamos fazer com que os produtores industriais de suínos assumam sua responsabilidade. Inclua seu nome no abaixo-assinado para pedir investigação e controle:
http://www.avaaz.org/po/swine_flu_pandemic
Se dermos fim a essa crise sanitária mundial com coragem reavaliando nosso padrão de consumo e produção de alimentos e pedindo urgentemente um estudo sobre o impacto de fazendas industriais sobre a saúde humana, poderíamos criar regras severas de controle dessas fazendas que salvarão a população mundial de uma futura pandemia mortal de origem animal.
http://www.avaaz.org/po/swine_flu_pandemic

Com Esperança
Alice, Pascal, Graziela, Paul, Brett, Ben, Ricken, Iain, Paula, Luis, Raj, Margaret, Taren e toda a equipe da Avaaz

Leia mais:
BBC Brasil (28 de abril de 2009) -- "FAO investigará fazendas onde pode ter surgido gripe suína"http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/04/090428_faogripe_ba.shtml
Estadao.com.br (28 de abril de 2009)-- "Gripe suína pode ter surgido em vila mexicana perto de granja"

Nenhum comentário:

Postar um comentário